quarta-feira, 29 de outubro de 2008

Desprendimento material

Olá pessoal,
É eu sei, escrevi ontem, mas conversando com uma amiga veio a idéia de escrever sobre o despreendimento material, totalmente linkado com o Robert Happé.

As pessoas seriam muito mais felizes se parassem de se preocupar tanto com o dinheiro ou com o bem material, ou com aquilo que "ainda" não possuem. Satisfazer esse "vazio" é uma loucura, pois é um buraco sem fim. Preencher o vazio com matéria é a mesma coisa que jogar o valioso dinheiro ganho com tanto suor no lixo. Isso mesmo, no lixo.

Você vai me perguntar: - Então para quê que eu trabalho tanto se eu não posso comprar tudo aquilo que desejo?

Vai em frente, compre, mas não precisa comprar tudo o que ver pela frente. Entende até onde eu quero chegar? É claro que você precisa comprar comida, vestuário, brinquedos... mas o principal você já tem, que é você mesmo. Por exemplo: em vez de comprar um carro carésimo que vai te custar muito mais em financiamento, seguro, IPVA, licenciamento, manutenção... Por que não comprar um carro mais simples que vai lhe custar muito mais barato e que vai suprir a mesma funcão do outro que é te locomover de um lugar ao outro. Para quê comprar um apartamento muito maior do que você precisa, se endividar até as cuecas ou calcinhas e depois ficar morrendo de medo de ser mandado embora do trampo, porque VOCÊ mesmo se fez essa dívida. Tá vendo agora onde eu quero chegar? Linkando com o que o Robert Happé disse, o medo é algo que nós mesmos criamos, algo da mente e de nossas ações.

PLANEJAMENTO, é algo primordial em nossa vida, não compre por impulso. Mulher tem uma mania de comprar quando está triste, quando se sente frustrada e lá vai um sapatinho novo, uma bolsa nova... depois você vê que nem precisava... Em vez disso, guarde esse dinheiro, faça uma previdência privada, com desconto direto da conta, assim você já sabe que esse dinheiro está comprometido. Comprometa-se com você mesmo(a). Guarde para não chorar amanhã. Planeje cada passo, porque a gente nunca sabe o dia de amanhã. Sacrifício? É claro que é, ainda mais se você for uma pessoa em que dinheiro na mão é vendaval.

Não precisa comprar matéria para preencher o vazio. Existe dois tipos de vazio: o vazio cheio e o vazio vazio. Seja um vazio cheio, pois nós precisamos de espaço interno para fluir e respirar. E tenha certeza, você não vai preencher o seu vazio com matéria. Preencha com AMOR, PACIÊNCIA, SIMPLICIDADE. Preencha seu tempo com coisas boas. Ah não tem tempo? É melhor comprar um sapato ou um celular novo para preenchar o seu ego? Então terá que comprar muito, pois após a compra do produto, você já vai se sentir vazio.

Já viu como as crianças estão sendo mal acostumadas? Elas ganham tantos brinquedos que nem conseguem dar conta de tudo aquilo que ganham, daí enjoam logo, e já querem o que está na prateleira. É um consumo que dá medo, aliás, é isso o que os fabricantes querem, que você compre na velocidade que pensa. Pois a economia precisa girar, as pessoas precisam consumir de tudo, desde de roupas a remédios. É claro, pois em algum momento vocês ficarão doentes de tanta ansiedade, preocupação, dívidas que o corpo não vai aguentar, então vai consumir remédio como se fosse o alívio imediato para seus problemas, aliás esse assunto vale um post, quem sabe o próximo.

É isso pessoal, DESPRENDIMENTO TOTAL COM A MATÉRIA!

Namastê

terça-feira, 28 de outubro de 2008

Robert Happé

Olá pessoal, hoje meu texto será o vídeo da entrevista deste maravilhoso ser chamado Robert Happé!

Ele fala sobre amor, que todos nós somos iguais, NO MUNDO INTEIRO! Dessa insanidade pela busca do dinheiro, dessa luta para salvar o dinheiro.

Uma coisa muito interessante que ele diz: "Que nós não nos respeitamos mais, mas nós nos usamos uns aos outros"

Para quê tanto medo? Quando você acredita em você mesmo, não há espaço para o medo.

Pessoal, vale a pena conferir, é como se ele tirasse as palavras de minha alma.

Vamos ouvir nossos corações e ascender nossa luz interna!

Apresento-lhes Robert Happé

Namastê

segunda-feira, 20 de outubro de 2008

Mudanças, até onde é bom?

Hoje em dia, todos falam sobre mundaças. Como é bom mudar, que mudar faz bem pois mexe nas energias e tira a poeira, que precisamos ser flexíveis a todo momento e a todo instante...

Jogo a questão no ar... até onde é bom mudar?

Mexer em algo que está parado há muito tempo, traz conseqüências, boas ou ruins, pois nunca sabemos o resultado deste movimento. Mudar o que não está bom é um bom começo, e mudar o que está bom? Ferir a expressão: "Em time que está ganhando não se mexe?" É bom também? Mudar para melhor? Mudar e piorar e depois se arrepender...? Tudo tem uma conseqüência, um resultado, um preço a pagar.

As mudanças podem ser internas e externas. Uma simples mudança no guarda-roupa pode gerar grandes resultados, é uma mudança externa com resultado interno. Toda mudança gera uma resposta, um aprendizado, um destino. Agora, a pergunta que não quer calar: até onde é bom?

No momento da mudança, seu corpo, sua atenção, sua vida sai da sintonia anterior e fica um turbilhão, mexer no que estava parado levanta poeira e tudo vem a tona. Até encontrar o estágio de serenidade leva um tempo. Imagine um lago sereno refletindo o reflexo da lua, se uma criança jogar uma pedrinha neste lago, o mesmo ficará turvo e levará um tempo até ficar sereno de novo. Com um detalhe, agora tem uma pedrinha a mais neste lago. O que mudou? Entende onde quero chegar? Até onde essas mudanças farão diferença na sua vida e até onde foi preciso essa movimentação? Nem todas mudanças são necessárias, criar raízes também é bom. Ter sossego e PAZ... primordial.

Pessoas que mudam constantemente, que a todo momento querem fazer uma mudança em qualquer quesito de sua vida... nem sempre é positivo, pode mostrar uma tendência a insatisfação pessoal. Em vez de ficar mudando a todo momento, de estado civil, de humor, de casa, de cabelo, de idéia, de namorado(a)... que tal começar a mudar internamente? O sentir-se pleno, de bem consigo mesmo não gera tantas mudanças. Analise antes de dar o primeiro passo, principalmente se for na impulsividade. Aliás a ação impulsiva já demonstra o desequilíbrio pessoal.

O próprio compromisso é uma forma de mudar a sua vida de um jeito benéfico, comprometer-se é dizer para si que não quer mudar de parceiro(a), que sente-se pleno pelo relacionamento em que vive. É mudar para não mudar mais, pelo menos até enquanto o relacionamento durar, mas é um acordo que você faz com a sua alma, o coração e com a sua mente e é claro com a pessoa que está contigo.

Tudo tem um limite, até para as mudanças. Pois tem momentos em que é preciso mudar, mudar hábitos como fumar, pois quer ser mãe; mudar de cidade, pois o marido foi promovido; mudar de casa, pois fará uma reforma na casa atual; mudar de estado civil, porque vai CASAR! São mudanças benéficas, que terão seus resultados, mas suas raízes, valores e sentimentos continuam ali. Por outro lado, ficar na letargia vivendo a mesmice de sempre e ser infeliz, ficar ruminando a decepção com o ser humano, querer uma vida de volta que não pode ter mais e culpar os outros, é complexo de vítima e falta de vergonha na cara.

Se é preciso mudar, que mude consciente do que está fazendo e pronto para pagar o preço. Se quer ficar do jeito que está, fique consciente do que está fazendo e pronto para pagar o preço. Viu como as mudanças dos fatores não alteram o resultado?

Tenha bom senso para mudar quando for preciso e bom senso para ficar na sua quando é para estar mesmo e sempre manter-se sereno, em paz e com muita harmonia.

Yogui Bhajan disse: "Seu lar é o seu coração, por isso estará bem em qualquer lugar."

Aqui relata um ser que desde 2001, em São Paulo, já mudou 7 vezes de residência e agora quer paz.

Namastê

segunda-feira, 13 de outubro de 2008

Quem canta os males espanta!

Olá pessoal,
Esse ditado "Quem canta os males espanta" é muito verdadeiro, vocês já repararam que as pessoas que cantam são mais felizes? Vamos tirar dessa lista os cantores profissionais, pois é outra área. Voltando, quando você canta, abre os pulmões, solta aqueles sentimentos guardados e tudo fica mais calmo, mais relaxado. Bom se a cantoria for muito ridícula, boas risadas sairão e sorrir é um Santo Remédio.

Para quem é iniciante e tímido, pode começar da seguinte forma:

  1. fase 1: pegar os links que vou sugerir e cantar sozinho em frente do computador, assim você treina, canta, canta e canta... quando você perceber já passou todo o stress;
  2. fase 2: de tanto cantar, vai decorar algumas letras e daí poderá se aventurar a cantar no chuveiro. Dá uma acústica (assim dizia a maravilhosa Marisa Monte), imaginem se ela começou a cantar no chuveiro, quem sabe você também pode ser uma "Marisa Monte". Primeiro vai ter que treinar muito e se inscrever no Ídolos. Ah detalhe, não vai se empolgar e demorar no chuveiro, pois além de ficar uva passa total, a natureza agradece, vamos economizar;
  3. fase 3: começar a cantar em karaokês, já terá uma platéia, e com isso além de cantar para a sua saúde, você começará a enfrentar a timidez, um pouco de álcool na cabeça pode dar "coragem", só não vai exagerar na dose e se for dirigir é melhor enfrentar seus medos no seco mesmo;
  4. fase 4: bom, aí você já é profissional e pode começar a cantar em casamentos, bares e afins... eu tenho um amigo que adora cantar, ele é simplesmente um "show man" o repertório predileto são as músicas do Fábio Jr, Mamonas (especificamente Robocop Gay), Wando, Reginaldo Rossi... Detalhe, ele não é cantor profissional, mas sabe como aproveitar esse dom que a vida lhe deu ;)

Pessoal, quem canta é mais feliz, abre os pulmões, solta as energias estagnadas, dá boas risadas (sozinho ou acompanhado), treina as cordas vocais e coloca um pouco mais de melodia em sua vida!

Abaixo os links interessantes para começar esse novo caminho:

Para a fase 1 e fase 2:

Marisa Monte - Beija Eu

Mamonas - indico todas, segue o link para você escolher

Tetê Espíndola - Escrito nas Estrelas

Vanessa da Mata - Boa Sorte

Pessoal entra no letras de música e escolhe, lá você pode escutar a música e cantar junto.

Fase 3: um lugar trash e ao mesmo tempo alternativo total, vale a pena conhecer, é uma mistura de karaokê japones, com sinuca... enfim vaí lá. Choperia Liberdade

Fase 4: só profissional e para quem não viu lá em cima segue o link novamente do meu AMIGO

Pessoal é isso, VAMOS CANTAR!!!!!!!

Grande abraço (quando vocês virarem profissionais, não se esqueçam de mim ;) )

segunda-feira, 6 de outubro de 2008

Brincar de viver

Esse título peguei do e-mail de uma amigona, mas vale para todos nós. Pois qual foi a última vez que você brincou? Se deu a honra de ser um pouco criança, de fazer palhaçadas, de rir até fazer xixi nas calças?

A vida tem as suas obrigações, mas não é preciso ser tão sério sempre. Sorrir é um santo remédio, viver a vida e não deixar que ela passe por você é primordial. Viver no mundo e não para o mundo, com todo esse consumismo, gula, insatisfação pessoal, profissional... Não há saúde física e mental que aguente a toda essa carga de energia pesada e negativa.

Saiba transformar as energias a seu favor. Tudo o que lhe acontece de ruim, transforme-a para algo divino. Um exemplo, se alguém lhe faz algo de mal, transforme-a em algo bom, desconte no treino físico, se você fizer box tailandês (por exemplo), imagine essa pessoa lá e meta o cacete! Você sairá levinho levinho... vai por mim, funciona! Eu treino artes marciais e confesso que tem me feito muito bem :D É claro que nem sempre preciso descontar no tatami, mas de qualquer forma é bom para liberar todas as toxinas que você adquire durante o dia e a semana. O mais bacana é depois rir de tudo isso e ver que o que aconteceu foi algo tão banal, mas que no momento foi algo que te deixou P.... da cara. Isso serve para vermos como somos pequenos diante a tudo o que ocorre e que no final somos todos iguais, com nossos anseios, desejos, frustrações, mas principalmente alegrias. No fim, a gente tem que agradecer para esses acontecimentos ruins, pois, se não fossem eles a vida seria muito chata e sem graça. A ENERGIA tem que circular!!!

Transforme as energias, o que vier de áspero, rude, grosseiro devolva com flores! É duro, mas um grande aprendizado.

É brincar de viver, tipo: não dê importância para aquilo que não merece. Pois a vida é uma só perante a tudo aquilo que queremos fazer, então se for para escolher, escolha sempre BRINCAR DE VIVER!!!

Um grande beijo a todos.