domingo, 27 de setembro de 2009

Qual é o seu maior desafio?

Muitos são movidos a desafios, certo?

Um novo emprego em uma nova empresa, uma nova oportunidade na mesma empresa, uma nova conquista amorosa...

Tem gente que não sossega, depois que conquista esse desafio, quer partir para outro. Mal digeriu e já quer um novo prato. Assim vai seguindo a vida, desafios, desafios, desafios.

Já se perguntou do por que de tantos desafios?

Pois de tanto desafio, vai chegar uma hora que vai cansar ou se frustrar por não ter mais desafios.

Quem sabe esses desafios são seus próprios demônios? Os desafios internos são os piores, na maioria das vezes a gente nem quer ver... mas eles estão lá, esperando por você.

O objetivo final é a serenidade, tem gente que não consegue nem sentar para respirar, meditação e yoga é algo que incomoda, o silêncio é algo irritante. Hum... isso já mostra sinais de pertubação, cuidado!

Busque o seu interior e verás que tem muitos mais desafios a enfrentar do que um novo emprego ou uma nova conquista amorosa.

Boas reflexões ;)

Namastê

segunda-feira, 14 de setembro de 2009

Sustentabilidade emocional

Hoje todos falam em sustentabilidade, que devemos reciclar para não faltar amanhã, que em vez de usarmos as sacolinhas de plástico usarmos as sacolas de pano... Enfim, tudo válido e assino embaixo.

Pergunto: reciclar o que usamos e não vamos usar mais, deveria ser válido não somente para os produtos de consumo rápido, principalmente alimentação, mas sim para todos os tipos de produtos, inclusive os sentimentais.

Ao comprar uma nova bolsa, sapato ou roupa, já olhou para o seu armário? É preciso comprar mais? É realmente necessário? Se quiser comprar para sua contemplação, que tal separar algo de dentro que não está em uso e passar para a frente?

O mesmo vale para as emoções, principalmente para aquele ser que vive uma relação falida, que sabe que não vai mais pra frente (pois já se tentou de tudo!). Passa pra frente! Pode ter certeza que outra pessoa fará um ótimo uso e deixe seu caminho livre para amar outra pessoa e viver a sua sustentabilidade.

É preciso nos sustentar de todas as formas e reciclar o amor às vezes é necessário, pode ser com a mesma pessoa, mas mudar aquilo que não está mais funcionando.

É preciso gerar essa energia parada, e como diz o REI, "é preciso saber viver!"

Viva a sustentabilidade de todos os sentidos!

Namastê

quarta-feira, 9 de setembro de 2009

Ser protagonista ou coadjuvante?

Ser protagonista é o objetivo de todos?

Ser protagonista é melhor que ser coadjuvante?

Eis a questão...

Acredito que vai de encontro ao que cada ser almeja, então analisemos o que pode ser cada um.

Ser protagonista é:
Ser o centro das atenções;
Subir alto, entretanto a queda é maior;
Ter seus altos e baixos de forma impetuosa, rápida, porém não duradoura;
Ser uma explosão, mas não ter continuidade;
É correr em vez de caminhar;
É se preocupar para manter-se no centro destas atenções.

Ser coadjuvante é:
Não ser o centro, mas ter o seu centro em você, entretanto fazer a sua parte;
Subir, mas não precisa ser tão alto assim;
Ter seus altos e baixos, mas de forma serena, às vezes os outros nem reparam;
Ser um "ploc", mas continuar dando seus "plocs" por aí;
É caminhar em vez de correr;
É não se preocupar em manter algo que para você nem é tão importante assim.

Vamos analisar pelo mundo da TV, o protagonista fica tão em evidência que vira escravo dele mesmo, não pode fazer nada que tudo gira em torno dele, mas será que ele vê seu próprio centro? O coadjuvante não, come pelas beiradas, faz seu sucessinho discreto mas sempre tem trabalho, não fica em tanta evidência mas também não fica parado. Tudo bem que o protagonista ganha mais dinheiro, mas aqui no "Por uma vida simples" quem está preocupado com isso?

É interessante analisarmos nossas vidas e verificarmos o que realmente importa, é querer ser o centro ou estar centrado? É querer tudo ao mesmo tempo e no fim não conseguir nada ou dar um passo de cada vez e conseguir aos poucos o que quer?

Paga-se um preço muito alto em querer ser protagonista, seja protagonista de você mesmo, trabalhando a sua auto-estima, para os outros seja um coadjuvante que não quer nada mas que consegue ter tudo, tipo os mineirinhos que comem quietos. Vamos aprender com eles ;)

Boas reflexões!

Namastê