segunda-feira, 22 de março de 2010

Você tem medo de quê?

Medo, uma palavra que realmente mete medo. Mas vamos parar para analisar, do que temos medo? Do que realmente vale a pena de ter medo?

  • Medo de perder o emprego? Depois de um tempo, com determinação outra coisa aparece.
  • Medo de perder o companheiro(a) para outra pessoa? Esse é o pior, nos mostra o tamanho de nossa carência e a falta de amor próprio. É o primeiro passo para começar a perder...
  • Medo de ficar pobre? Está na hora de rever seus valores
  • Medo de se machucar? Por acaso é feito de vidro?
  • Medo da morte? É a única coisa de que temos certeza.
  • Medo de não conseguir? Já tentou?

O medo faz parte de nossa defesa, muitas vezes pode nos salvar de enrascadas, pois você não vai se meter a andar sozinho(a) em plena madrugada, certo? Muitas vezes pode paralisar e você pode perder boas oportunidades.

Ter medo é diferente de sentir medo. O ter pode ser algo permanente para qualquer coisa que possa aparecer, sentir pode ser algo ligado ao momento que está passando e é natural.

Saiba refletir sobre seus medos, nem sempre perder é realmente perder, muitas vezes nas perdas é que ganhamos e muitas vezes nos ganhos é que perdemos. Tudo é relativo, vai depender de seu ponto de vista.

Medo, faz parte de sua vida, mas não faça desse sentimento algo que lhe paralise ao ponto de lhe prejudicar.

Siga em frente, faça a sua parte, o resto vem.

Namastê

segunda-feira, 1 de março de 2010

Você anda reclamando?

Reclamar, fazemos isso quando algo, alguém, algum acontecimento nos incomoda. Mas já parou para analisar se tudo o que reclamamos é realmente merecedor disso?

Exemplos: se você comprar algo que está violado, mas quando você comprou não tinha como saber, é caso de reclamar. Entretanto, se você está em sala de aula e não está conseguindo aprender, às vezes é caso de reclamar e as vezes não.

Como assim? Se reclamarmos de tudo e a todo momento, a gente vicia e daí tudo que não nos agrada... reclamação. Na maioria das vezes nós somos os culpados de algo não dar certo. Pode ser por uma falta de atenção, ou falta de empenho, ou até mesmo falta de conhecimento. É fácil perguntar sempre, mas nem sempre as respostas estão prontas e aí meu caro leitor é a hora da gente arregaçar as mangas e seguir em frente. O papel do professor é instruir, ensinar a pescar e não lhe dar o peixe. Mas muitos alunos e pais de alunos acham que o papel do professor é educar - coisa que deve vir de casa - entregar mastigado, para o aluno somente engolir.

Hoje em dia a falta de respeito é cada vez maior, críticas são bem-vindas, mas nem sempre as críticas são construtivas, são destrutivas impedindo o desenvolvimento humano.

Por isso, antes de reclamar, pense duas ou três vezes e reflita se realmente vale a pena, todos nós somos humanos e os humanos erram.

Boas reflexões...

Namastê