segunda-feira, 1 de março de 2010

Você anda reclamando?

Reclamar, fazemos isso quando algo, alguém, algum acontecimento nos incomoda. Mas já parou para analisar se tudo o que reclamamos é realmente merecedor disso?

Exemplos: se você comprar algo que está violado, mas quando você comprou não tinha como saber, é caso de reclamar. Entretanto, se você está em sala de aula e não está conseguindo aprender, às vezes é caso de reclamar e as vezes não.

Como assim? Se reclamarmos de tudo e a todo momento, a gente vicia e daí tudo que não nos agrada... reclamação. Na maioria das vezes nós somos os culpados de algo não dar certo. Pode ser por uma falta de atenção, ou falta de empenho, ou até mesmo falta de conhecimento. É fácil perguntar sempre, mas nem sempre as respostas estão prontas e aí meu caro leitor é a hora da gente arregaçar as mangas e seguir em frente. O papel do professor é instruir, ensinar a pescar e não lhe dar o peixe. Mas muitos alunos e pais de alunos acham que o papel do professor é educar - coisa que deve vir de casa - entregar mastigado, para o aluno somente engolir.

Hoje em dia a falta de respeito é cada vez maior, críticas são bem-vindas, mas nem sempre as críticas são construtivas, são destrutivas impedindo o desenvolvimento humano.

Por isso, antes de reclamar, pense duas ou três vezes e reflita se realmente vale a pena, todos nós somos humanos e os humanos erram.

Boas reflexões...

Namastê

3 comentários:

Albuq disse...

Concordo com tudo que você disse. Reclamar nos deixa pior do que estávamos, e sobre as críticas, tem gente que tem prazer em fazer uma crítica destrutiva prá fazer você desistir.
Apoio as críticas que fazem crescer!
bjs e ótimo texto!

Yasmim disse...

Apoio o que disse, já fui uma reclamona de carteirinha até que percebi que nimguém mais dava importancia ao que eu dizia, fiquei rotulada como uma pessoa que reclamava muito, mudei e estou muito melhor agora, apesar da fama persistir.
Agora em vez de reclamar procuro soluções para as coisas que não me agradam.

Nikita Ferraz disse...

Eu realmente não reclamo se realmente acho que fará diferença. Tem que valer muito a pena. Conheci seu blog e fiz um post que acho que vai gostar. Dá uma olhada quando puder.
http://vocesa.abril.com.br/blog/mulher-em-pauta/2010/01/06/vinho-queijo-e-uma-vida-simples-em-paris/