sexta-feira, 16 de outubro de 2009

Quem domina o que?

Quem domina? Você ou o seu problema?

Muitas vezes nos deparamos com problemas em nossas vidas, na maioria das vezes de difícil resolução, certo?

Errado, o problema não é tão difícil assim, somos nós seres pensantes que causamos tudo isso dentro de nós. Muitas vezes a gente nem sabe o tamanho do problema, mas na nossa "mente" já é um problemão.

Isso acontece, pois deixamos que o problema domine tudo em nossa volta. Não olhamos para frente, não olhamos para os lados, não olhamos para o nosso interior. Daí está tudo dominado pela mente que muitas vezes mentem para nós e nos deixa nessa roda viva.

Se perdemos o controle de alguma situação é por que a situação tomou o controle. Não deixe que isso aconteça. O importante não é o problema, mas é o que você vai fazer com ele. Um bom exemplo disso: muitos de nós já passaram por algum tipo de exame (faculdade, provas, troca de faixa em alguma arte marcial...), como se saíram, ficaram muito nervosos? Faz parte, mas o exame tomou conta de você? É aí que está a questão, não dê tanta importância para aquilo que não merece, o exame é importante sim, mas não é tudo. Se você não tomar as rédeas, as rédeas irão enforcá-lo.

Domine a sua mente, o seu caminho, a sua vida.

Namastê

sábado, 3 de outubro de 2009

Terapia do elogio

Esse texto não é de minha autoria, porém muito interessante, bom aproveito!

Renomados terapeutas que trabalham com famílias, divulgaram uma recente pesquisa onde nota-se que os membros das famílias brasileiras estão cada vez mais frios: NÃO EXISTE MAIS CARINHO, não valorizam mais as qualidades, só se ouvem críticas.
As pessoas estão cada vez mais INTOLERANTES e se desgastam valorizando os defeitos dos outros.
Por isso, os relacionamentos de hoje não duram.
A ausência de ELOGIO está cada vez mais presente nas famílias de média e alta renda.
Não vemos mais homens elogiando suas mulheres ou vice-versa, não vemos chefes elogiando o trabalho de seus subordinados, não vemos mais pais e filhos se elogiando; amigos, etc.
Só vemos pessoas fúteis valorizando artistas, cantores, pessoas que usam a imagem para ganhar dinheiro e que, por conseqüência são pessoas que tem a obrigação de cuidar do corpo, do rosto.
Essa ausência de elogio tem afetado muito as famílias.
A falta de diálogo em seus lares, o excesso de orgulho impede que as pessoas digam o que sentem e levam essa carência para dentro dos consultórios.
Acabam com seus casamentos, acabam procurando em outras pessoas o que não conseguem dentro de casa.
Vamos começar a valorizar nossas famílias, amigos, alunos, subordinados.
Vamos elogiar o bom profissional, a boa atitude, a ética, a beleza de nossos parceiros ou nossas parceiras, o comportamento de nossos filhos.
Vamos observar o que as pessoas gostam.
O bom profissional gosta de ser reconhecido, o bom filho gosta de ser reconhecido, o bom pai ou a boa mãe gostam de ser reconhecidos, o bom amigo, a boa dona de casa, a mulher que se cuida, o homem que se cuida, enfim vivemos numa sociedade em que um precisa do outro; é impossível um homem viver sozinho, e elogio é a motivação na vida de qualquer pessoa.
Quantas pessoas você poderá fazer feliz hoje elogiando de alguma forma?
Pensemos nisso!