sexta-feira, 5 de fevereiro de 2010

Ler ou julgar uma pessoa?

A maioria das pessoas julgam um ser humano, assim que o conhece, antes de conhecê-lo, depois... enfim, qualquer ação que esse indivíduo faça que não agrade a um grupo ou a qualquer outro ser, já será julgado.

Em algum momento as pessoas param para ler uma pessoa?

Como assim?

Em vez de julgar seus atos, que tal se colocar no lugar dele, que tal tentar entender os motivos deste ser agir de tal forma, que tal simplesmente deixar o tempo passar e fluir para que você o conheça melhor?

Quem sabe, sua opinião pode mudar. Essa história dos "santos não baterem" acontece, mas será que não bate mesmo ou é você que se fechou para tal? Será que não veio um pré-julgamento e disso se formou uma opinião?

As opiniões provem de algo que você lê ou julga? Como julgar um conhecimento? Sei que pela leitura adquiri-se conhecimento, mas adquiri julgamento?

Um terapeuta nunca julga seu paciente, por mais absurdos que o paciente diga ou faça, pois todos estão em seu direito de ser, entretanto o terapeuta lê este ser, para entender o que aflige a mente e a vida do paciente.

Se todos aprenderem a ler as pessoas em vez de julgá-las o mundo seria muito mais interessante e solidário, o mundo seria mais verdadeiro, pois à partir de uma leitura bem feita opiniões e atitudes mudam e podem ter certeza que sempre será para o melhor. Mesmo que esta leitura os leve a se afastar deste ser ;)

Você julga ou lê um livro?

Boas reflexões

Namastê

2 comentários:

Yasmim disse...

Adorei o texto, e procuro sempre exercitar o ato de ler as pessoas, tentar entende-las, e na medida do possível me por no lugar delas.
Acredito mesmo que esse é o caminho para uma vida melhor e para melhorar o relacionamento entre as pessoas.
Quando fazemos isso passamos a ver a vida por uma outra perspectiva.
Ninguém gosta de ser discriminado nem rotulado como um produto.
Vamos refletir sobre esse texto, vale a pena.
Xeiro!

Albuq disse...

Olá!
Adorei o texto, porque ele diz algo que as vezes fazemos sem nem mesmo perceber, fazemos um pré-julgamento, sem ter lido para poder entender. Também acredito que quando passarmos a ler mais e julgar menos, seremos ao menos, mais justos!