domingo, 3 de maio de 2009

Você abre mão de que?


É difícil abrir a mão para as coisas, pois nós queremos tudo! Mas é fato de que precisamos abrir a mão de certas coisas para você ter aquilo que você mais quer. Pelo menos naquele momento.

Exemplificando: Se você é solteiro(a), não abre mão de sua liberdade, mas abre mão de estar com aquele(a) que pode ser a tampa de sua panela e em vez de estar no bar com os amigos estará bem aquecedinho(a) ao lado do ser amado. Em contrapartida, não tem cobranças, o tempo é só seu, você faz dele o que quer e como quiser.

Se você é comprometido(a), abre mão de sua liberdade, mas não abre de ter aquela companhia, trocar carícias sinceras, saber que é amado(a) e que ama. Em contrapartida, tem suas cobranças, convivências familiares, o tempo agora é dividido, mas pra você está tudo certo.

Se você é separado(a), bom daí eu acho que não abre a mão de nada, porque já passou pelas duas fases e agora quer aproveitar um pouco da liberdade e quando quiser se amarra de novo. O separado(a) tem a vantagem de conhecer os dois lados e já sabe do que irá abrir mão.

O mais relevante é assumir que está abrindo mão de algo, porque de um jeito ou de outro, você estará abrindo mão. Isso para os honestos(as), para aqueles que possuem cachos espalhados por aí, não vale. Aliás, abrem mão da consciência livre e da paz (será que foi mesmo uma boa escolha?).

Analise sobre o que você realmente quer e abra a mão das coisas sem dó, pois é melhor você escolher do que no futuro alguém fizer por você. Daí vai doer.

Para quem quiser saber mais sobre uma solteira, uma casada e uma divorciada, acessem o 3x30.

Boas reflexões
Namastê

2 comentários:

3 x Trinta - Solteira, Casada, Divorciada disse...

Rita! Exatamente o que estávamos conversando ontem na sessão! Adorei as palavras. beijos, Gio

3 x Trinta - Solteira, Casada, Divorciada disse...

Que legal esse texto inspirado em nosso blog!!

Domo arigatô!

Mas o mais louco é pensar que passamos a vida inteira em crise por ter que abrir mão de algo, rs.

Será que um dia a gente aprende ou será que essa é a graça da vida?

muitos beijos