quarta-feira, 6 de maio de 2009

Nós temos contato com o nosso semelhante?

Cada vez mais vivemos em um mundo onde as pessoas possuem menos contato com o seu semelhante. Exemplo: vivemos muito mais conectados com máquinas. Para saber se o colega vai almoçar, utilizamos o e-mail e o msn, por que não simplesmente perguntar? Ele está bem na sua frente. Vivemos plugados, conectados. Se não for assim, está por fora, e o contato humano?

Existem esses sites de relacionamentos, eu nunca entrei e na verdade acho meio impessoal demais, não recrimino quem entra, só acho estranho você colocar seus dados e procurar aquele que mais te agrada, como se fôssemos objetos na prateleira esperando que alguém te encontre. Super prático, não perdemos tempo em encontrar pessoas ao vivo e perceber lá na frente que não dariam certo, só porque são diferentes demais. Aliás, não é aí que está a doçura da vida?

Como viviam nossos antepassados sem o telefone? Será que os relacionamentos antigos duravam mais porque não existiam essas facilidades? Será que hoje nós somos mais felizes por termos tantas opções? Será? Às vezes penso que antes a vida era mais simples e com isso mais feliz, hoje temos tantas opções e mudar é tão fácil. Ser volúvel é o hit, ser constante tá por fora, o lance é socializar e comer... opa digo conhecer todos que puderem ou até a sua saúde aguentar.

Enfim, cada vez mais acredito que vivemos em um mundo virtual, um mundo de MATRIX e estamos cada vez mais fora de nossa realidade. Somos superficiais demais?

Um comentário:

Viver bem para viver muito disse...

Olá, Rita! Às vezes, fico pensando sobre isso!!! Lembro que há algum tempo atrás, não tínhamos celular nem computador e as coisas aconteciam do mesmo jeito. Felicidades!!!