domingo, 8 de março de 2009

Admiração, sentimento e busca...

Vocês já se deparam em situações onde confundiram admiração, sentimento e busca?

Imagine estar apaixonado(a) por uma pessoa que representa aquilo que você gostaria de realizar, e que essa pessoa realiza. A primeira vista você apaixona-se perdidamente, e este relacionamento é correspondido. VIVA! Sou feliz! Minha vida é completa, trabalho em algo legal, mas que não me satisfaz por completo, mas meu companheiro(a) representa tudo aquilo que eu busco em uma pessoa, representa tudo aquilo que eu gostaria de ser. Eu me REALIZO nele(a).

Um dia esse romance, caso, relacionamento chega ao fim. - Minha vida acabou! É o fim.

Muitos de vocês pensariam dessa forma, viveriam o luto e aquilo que você tanto admirava... sumiu... um vazio lhe corrói, nada mais lhe satisfaz e o trabalho começa a pesar e sua vida vira um vazio enorme!

Às vezes rompimentos são necessários, nada é por acaso e quando um relacionamento chega ao fim, é porque deu tudo o que tinha que dar e que de agora em diante você seguirá um novo caminho. Esses rompimentos servem para nos mostrar que novos caminhos serão trilhados. Ou seja, porque não começar a se ADMIRAR? Fazer aquilo que você tanto admirava no outro. A pessoa amada era um símbolo daquilo que você também pode ser. Você não precisa mais dele(a), pois deve sair desta sombra e emergir para tornar-se aquilo que você deve trilhar.

Essa é uma das diferenças entre admiração, sentimento e busca. Você pode admirar o ser amado(a), mas se é algo que você almeja para você, faça ACONTECER, sentimentos são emoções que devem ser vividos e a busca é algo que você precisa trilhar sozinho(a).

É a diferença entre TER ou SER. TER uma pessoa ao seu lado que realiza sonhos que você gostaria de realizar ou SER essa pessoa que vivencia seus próprios sonhos?

Pensem a respeito.

Namastê

Um comentário:

Viver bem para viver muito disse...

Adorei! Sem dúvida devemos pensar a respeito...
Abraços
Valquiria