sexta-feira, 5 de dezembro de 2008

A sutileza do ser bruto

Tem um texto interessante de Yogui Bhajan que diz o seguinte:

"Quando a pessoa começa a estudar e aprender qualquer coisa, deve continuar aprofundando-se e praticar. Não ficar apenas na superfície. Se começar muitas coisas de uma vez e não se chegar nunca ao final, não se domina nenhum tema e a pessoa sempre fica nas preliminares. Este não é o caminho para se chegar a ser mestre e ao conhecimento e a sutileza real.

Que tenha um sistema, que viva e que respire tudo aquilo em que a pessoa está envolvida, qualquer coisa que faça, que procure integrar quase a nível visceral. Assim, pode chegar a compreender que em tudo, seja o que for, por mais insignificante que pareça tem escondido a sua arte. Esta arte é a que freqüentemente não se chega a captar, precisamente por sua sutileza."

Ser sutil é algo que leva tempo, pois desde os primórdios somos primatas e a primeira reação é ser bruto(a). Bem, todo diamante quando é econtrado se encontra na forma bruta para depois ser lapidado e transformar-se nessa sutiliza de beleza que é.

Tudo o que começamos, seja o que for, desde um estudo, uma prática esportiva, alguma arte (marcial, pintura, decoração), possui a fase inicial que é a superficial e com o tempo vamos nos aprofundando para um dia chegarmos a essa sutileza que tanto almejamos, assim é com o auto-conhecimento. Conhecer a si mesmo é a viagem mais profunda e visceral que um ser pode querer embarcar.

Boa viagem

2 comentários:

Nanny Costa disse...

Oi, Rita. Estava pensando sobre essa assunto um dia desses. Às vezes nós escolhemos fazer algumas coisas sem saber ao certo sobre nosso interesse real. Além disso, não damos o tempo necessário para que essas novas atividades se apresentem melhor, o que nos faz abandoná-las muito cedo. Por isso, estou aprendendo a fazer uma coisa de cada vez, dando a atenção que cada atividade precisa. Não é fácil, mas é gratificante perceber os resultados ao final de cada atividade. Parabéns pelo post.

3 x Trinta - Solteira, Casada, Divorciada disse...

Oi Rita,

Obrigada pelo comentário lá no blog. Tudo a ver com o que vc escreveu tb, sobre a viagem do auto-conhecimento. Tô nessa.

Precisamos nos conhecer pessoalmente, né?

Beijos,

A Divorciada do 3xtrinta