sexta-feira, 21 de novembro de 2008

A minha, a sua, as nossas diferenças

Todos nós somos diferentes, isso é fato. Mas todos nós sabemos lidar com as diferenças dos outros?

Uma coisa que estou aprendendo com a arte marcial (sou aikidoísta e rumo à faixa verde - eeee!!!) é a paciência. Qualquer arte marcial tem a troca de faixa, que nada mais é que uma apresentação que você faz para uma banca (todos faixas pretas) e lá eles dizem se você passou ou não (ui que meda). Entretanto, nesses treinos para a troca de faixa acontece o famoso "processo", onde cada um sente de uma forma e vive esse momento tão delicado. O Aikido não é uma arte individual, você precisa do outro para que algo aconteça. É aí que a coisa complica, pois cada um é diferente do outro, cada um sente diferente, interpreta e age de formas diferentes.

É duro você vivenciar tudo isso e querer ajudar, pois será que essa pessoa quer a sua ajuda? Tem que saber lidar com isso. Qual é a hora certa de falar e de se calar? Como agir? Vou em frente assim mesmo? O que está se passando na cabeça daquele ser? O que está se passando na minha cabeça? Que sentimentos locos são esses que afloram na minha pele? Por que estou tão irritada com aquele ser? Muitas questões em tão pouco tempo, muito trabalho a fazer em tão pouco tempo. Caramba, porque eu me meto nesse trem pra ficar mais estressada? Já não basta a vida?

É aí que está a beleza desse trem todo. Pois esses processos acontecem para vermos que todos nós somos diferentes caminhando juntos, isso vale pra vida. Ninguém será como a gente e nem farão as coisas que faríamos, nós idem. Saber respeitar o outro do jeito que ele é, com suas qualidades, defeitos é algo muito difícil. É o lance de colocar os óculos do outro. Cada um tem um corpo diferente do outro, cada um sente as dores do seu jeito, cada um tem um ritmo de vida diferente. É difícil mesmo se colocar no lugar do outro, é claro que tem o lance de essência de cada um. Para uns é pegar na hora mesmo o que tem que ser feito e ver no que vai dar, para outros o planejamento, o começar a treinar antes é primordial. Cada um do seu jeito e no final tudo é alegria.

Somos diferentes sim, graças a DEUS, só peço muita paciência comigo mesmo e com os outros que cruzarem o meu caminho, pois conflitos sempre existirão, divergências nem se fale. Respeitar o próximo já é o suficiente, não tente entender, pois o ser humano é um ser muito complexo. Tentemos simplificar a vida e não nós mesmos.

Viva às diferenças para o desenvolvimento humano!

Namastê

3 comentários:

LNabuco disse...

Rita...lindo,claro,simples e profundo...quanta fonte boa esse blog...estou há dias lendo e desfolhando .
Parabéns!!

LNabuco disse...

Será que poderia adicionar a sua página no meu blog?

http://hidradissoluta.blogspot.com/

Ele é mais voltado para fiçcão.

Abraços!

Mariana Fernandes Lixa disse...

Viva as diferenças, não é?
Adorei...