quarta-feira, 23 de julho de 2008

Mente vs Alma

Olá, desculpem-me pela demora, mas agora sem net em casa, os acessos serão pelas lan houses da vida, mas é a vida. O importante é fluir!

O tema de hoje fez-me pensar um pouco, pois estou sem idéias de como começar. Ok, lá vai...

Vocês sabem o que é a mente para você? O que ela faz com o nosso ser? Aliás, somos a nossa mente? Afinal o que somos?

Caraca, a mina pirou!

Calma, não pirei não. O lance é o seguinte, se você pensa que é a sua mente, então querido você está perdidasso. Porque se você deixar a mente dominar, tá tudo dominado.

Somos a nossa alma, que está conectada ao nosso coração, que é a nossa essência pura. A mente é um mero instrumento de nosso corpo que nos ajuda a seguir em frente. É por isso que tá todo mundo loco, alucinado, ansioso, agoniado!!!! É a mente que está fazendo isso, também pudera com tanta loucura por ai, crianças morrendo, policiais matando (os mesmos que nos protegem?), pais matando filhos, filhos matando pais, pessoas matando-se lentamente... não é culpa da nossa mente nos deixar assim. Ninguém guenta!

Por isso agora é a hora da gente deixar de lado um pouco essas coisas e esvaziar a mente, isso mesmo, pense em nada, pense azul, branco... mas simplesmente deixe a mente respirar. Como fazer isso? Simples, respirando. Lenta e profundamente. Faça meditação, pratique alguma atividade física, namore, ou faça algo que permita que a sua mente respire, que ela não pense no trabalho de amanhã, na reunião, no trânsito. Tire essas PRÉ-Ocupações mentais que só fazem atrapalhar e fazer com que a mente domine cada vez mais o seu ser.

A Paz de espírito, o trabalho voluntário... essas coisas podem dar algum prazer, pois é um trabalho desinteressado, onde a mente não precisa ficar preocupada com o que vai acontecer. Tá sacando onde eu quero chegar?

Amigos, para encontrar melhores soluções para o seu dia a dia é necessário que se limpe a mente diariamente. Da mesma forma que você come e evacua todos os dias. Compreendo que não é fácil, eu sei, eu também estou no processo, ou você pensa que eu consigo limpar a mente todos os dias? Não ainda não, mas já dei os primeiros passos, praticando zazen uma vez por semana (ver texto anterior), participei do Sádana meditação da kundalini yoga que começa as cinco da manhã e durou cerca de duas horas e meia, e olha que tinha coisa pra limpar. Canto mantras, costumo respirar melhor... enfim, tudo isso pra ficar mais normal nesse mundo insano que deixa a mente doida e a alma perdida.

Vamos conectar-mos com nossas almas! Faça o que lhe agrada, cada um sentirá a conexão no momento certo.

Abraços a todos e espero ter dado o recado!

2 comentários:

Ricardo disse...

Como estou sempre ao seu lado, posso dizer que você está cada vez mais próxima da serenidade. Um passo de cada vez... beijo enorme.

Alan disse...

Olá Rita, Alan aqui, vamos a algumas considerações minhas sobre o tema.
Quanto à natureza "instrumental" da mente ela é de uma natureza "instrumental" similar a de um braço, uma perna ou órgão vital, ele é necessária para todo ser humano vivendo nesse mundo e é a ferramenta através da qual interagimos com uma realidade, digo uma realidade pois não sou presunçoso o suficiente para acreditar que só aquilo captado pelos sentidos e interpretado pela mente existe... mas é fato que o volume de informação sob domínio da mente cresce continuamente. É o aumento do volume de informação processada pela mente o grande problema da atualidade, ocasionando fenômenos conhecidos como estresse (Cuja fonte principal é sobrecarga mental), depressão, entre outros males psicológicos. A mente é vital e parte essenciald e quem somos mas não é a única coisa que somos. É sob essa perspectiva que devemos ver sua proposta, e também proposta comum em diversas doutrinas filosófico/religiosas, de esquecê-la por alguns instantes e "deixar fluir". Não podemos esquecer, porém, que o objetivo de esquecer a mente não é o de não utilizá-la ou de "deixá-la descansar", mas sim de harmonizar seu funcionamento visto que ela é um motor contínuo em interação com a realidade. Eu digo que meditação menos do que desligar a máquina é manter a máquina ligada para ver como ela está funcionando e ser capaz de fazer pequenos ajustes para que ela funcione melhor. Não digo isso por achar equivocado seu texto, digo apenas para detalhá-lo com um pouco da minha experiência (Não tão vasta ou sábia mas alguma experiência). O grande desafio da vida não é parar, é sempre prosseguir, mas prosseguir de uma forma equilibrada, e como praticantes de artes marciais aprendemos a cada dia que o equilíbrio não é algo que se obtém mas algo que se constrói dia a dia, é o motor-contínuo que precisa de ajustes constantes para se manter nos trilhos, e nós somos os responsáveis por isso. E para finalizar cabe resaltar uma pequena e singela frase que li num livro certa vez: "O problema da iluminação é que quando você pensa tê-la alcançado é porque você não a alcançou". Um abraço e até a próxima, e me desculpe pela eventual "wall of text".