domingo, 30 de novembro de 2014

Espontaneidade

Normalmente ser espontâneo é ser aquilo que é sem se importar com o que os outros irão pensar ou falar sobre você. Agir de prontidão de forma tão espontânea que nem você acredita que fez aquilo. Fazer o que vier na mente, fazer o que vier na telha... e por aí vai...

É tudo isso e muito mais.

Essa espontaneidade pode ser um novo jeito de ver a vida, isso não quer dizer que fará somente o que quer na hora que quiser, mas também ser isso tudo com equilíbrio. Como assim?

Em vez de engolir os sapos, deixar passar fazendo com que nem se tome conhecimento que aquilo podia ser um sapo, não pegar para si, não aceitar as ofensas. Não tomar para si problemas que não são seus, deixar passar...

Por exemplo, se alguém lhe ferir, você não precisa revidar (nem sempre isso quer dizer que você é espontâneo e sim reativo), mas não permitir que isso te machuque, ser espontâneo em seu jogo de cintura. Outro exemplo, se alguém lhe perguntar quanto você ganha, seja espontâneo dizendo: por que você quer saber? Ou, essa informação lhe trará algo que mudará a sua vida?

Tem várias histórias de mestres com seus discípulos e uma diz mais ou menos assim: havia um mestre com seus discípulos e veio uma pessoa que queria rebaixar esse mestre, logo começaram as agressões verbais, o mestre ficou quieto e na dele, seus discípulos com raiva do agressor perguntou ao mestre se ele não ia revidar, com a maior calma ele disse - cada um oferece aquilo que tem.

Ser espontâneo com você e na vida é um comprometimento que você faz a si próprio, em não se importar com coisas que não são importantes.

Tudo tem seu devido valor, mas quem dará importância é VOCÊ e com isso arque com o peso que dará a cada coisa que valorizar. Nem tudo que se valoriza será positivo para você ;)

Tem uma tirinha do Armandinho que diz claramente o que pode ser essa "espontaneidade".

Boas reflexões...
Namastê

segunda-feira, 20 de outubro de 2014

Você já se amou hoje?

Recentemente comecei uma jornada muito interessante, fiz dois cursos incríveis sobre culinária saudável e a maior surpresa foram os resultados.

A frase que mais me marcou no curso foi: "Por que a gente não sente prazer em cozinhar somente para si ?" "Cozinhar é ato de amor, por que não podemos fazer esse ato de amor para nós mesmos?"

Cuidar de quem amamos dá trabalho, mas é um trabalho gostoso que nos satisfaz, então por que não fazemos isso para nós? Porque dá trabalho, dá preguiça, ah... só pra mim?

São essas questões que nos sabotam dia a dia e quando percebemos nossa energia foi toda embora. Mas como ter energia se tudo e todos a levaram e você em nenhum momento pensou em recarregá-las? A culpa é toda sua!

A música de Renato Russo: "É preciso amar as pessoas como se não houvesse o amanhã..." eu diria que é preciso também SE amar como se não houvesse amanhã, porque se você não começar AGORA mesmo que ninguém lhe ame pelo menos a pessoa mais importante para você sempre te amará e isso já basta.

Cozinhar é um ato de amor que não está somente para aqueles que sabem ou curtem... cozinhar é pura alquimia, é terapia, é estar em contato com a natureza que depois irá nutrir o seu corpo e o seu templo. É como começar uma atividade nova, tipo ginástica, ou qualquer outra atividade, no começo não sabemos nada mas com a prática descobriremos um mundo novo.

Faça um mimo para você mesma, cozinhe uma comida bem gostosa, ou faça uma sobremesa dos Deuses super natureba e deliciosa que irá nutrir seu corpo e sua alma.

Ah, vocês querem saber se estou engordando? Muito pelo contrário, estou emagrecendo, consequência de se amar e de procurar o que há de melhor em alimentos para nutrir o corpo e a alma.

Abaixo listo o site da Melissa Setubal, a coach de saúde responsável por esta minha transformação, os cursos que fiz com ela e espero que criem coragem e vontade, para pelo menos experimentar esse mundo novo.
http://www.melissasetubal.com.br
Curso: Cozinhe expressa - comida pronta em 30 minutos ou menos
Curso: Cozinhe em 3 horas para a semana inteira
http://www.madameaubergine.com.br/aulas.htm

Boas reflexões
Namastê



sexta-feira, 10 de outubro de 2014

Voltar a admirar

Olá queridos e queridas,

Faz muito tempo que não escrevo, mas fico muito feliz pelos comentários de textos anteriores que recebo até hoje. É sinal que este blog mesmo não muito alimentado anda sozinho ;)

O que tenho pra falar é sobre AMOR, para quem acompanha este blog já percebeu que é um tema recorrente, mas enfim, vamos lá...

No dia a dia, a correria...  nos desvia e com isso nos perdemos, a infinidade de estímulos que o mundo afora nos oferece e até mesmo o trabalho nos ludibria e faz com que esqueçamos de agradecer pelo dia de hoje e por estarmos VIVOS!

Se esquecemos de um simples fato como esse, quem dirá dizer sobre ADMIRAÇÃO. Sim, esquecemos de admirar tudo a nossa volta e principalmente com quem está em nossa volta. Fazia muito tempo que eu não olhava para trás, digo, para a minha ancestralidade e admirar de onde vim. Quando crianças depositamos todas as nossas fichas naqueles que cuidam de nós, são como ídolos e com o tempo nós perdemos essa admiração ou ela diminui, principalmente quando somos jovens e sem filhos. Hoje eu entendo quando minha mãe dizia: "você vai ver quando tiver o seu filho", "você vai entender..." Eu não tenho filhos, mas as circunstâncias da vida me levaram a ter uma parte deste aprendizado e até muito recente.

Se ver diante de situações aparentemente negativas e conseguir ver o amor, a bondade, a paz... pode ser um grande aprendizado puro e doloroso, mas quem disse que a dor é ruim?

A dor ensina e o auto conhecimento vem através desta dor, que pode ser de ordem emocional, físico, mental... em um momento ela chega e se você quiser encarar será um belo aprendizado, tenha certeza disso ;)

Fazia muito tempo que eu não admirava a mulher que é a minha mãe, isso me emociona muito, pois mexe com meu lado feminino e minha ancestralidade. A gente vem de onde veio por um motivo e não importa qual seja, o bacana é seguir, aceitar, amar e continuar.

E quando esse AMOR ainda não veio? Calma, vai chegar uma hora em que você estará a prova e você poderá escolher entre seguir o caminho do AMOR ou da DOR. Os dois caminhos ensinam e ambos chegam ao mesmo lugar. Ao AMOR é claro, daí você perceberá que todo o resto se torna tão pequeno e insignificante.

Hoje falo de minha mãe, mas esse texto não exclui ninguém. Para cada um de vocês que deixou de admirar alguém por qualquer razão, respire fundo, abra o seu coração que logo o aprendizado virá. Deixe o caminho livre que no momento certo a hora chega ;)

Boas reflexões
Beijo no coração de cada um
Namastê

sexta-feira, 24 de janeiro de 2014

Os desvios são sempre bem vindos

A vida atualmente nos leva a passar muitas vezes pela vida sem viver, às vezes vivemos nossa vida plenamente e nos sentimos felizes. Seguindo nosso caminho tranquilamente, sem atropelos... Entretanto fazer "desvios" no cotidiano uma vez ou outra pode lhe trazer satisfações inesperadas.

Recentemente fui a um desses encontros de colegas de colégio e revi pessoas que não via há pelo menos 26 anos e claro tive a oportunidade de conhecer pessoas novas, pois nem sempre você estudou com todos aqueles que foram ao encontro.

A questão está em sair da sua zona de conforto, ir ao encontro de pessoas que aparentemente fez parte de seu passado e que hoje não faria tanto sentido em rever. Sair desta "zona de conforto" e encontrar essas pessoas é que fez toda a diferença para mim. Pois tive a oportunidade de ver como cada um tomou seu destino, conversar de assuntos diversos, aprender coisas novas e isso revigora. Não que os seus amigos que fazem parte de seu cotidiano não sejam importantes. Todos os são, é primordial ter o contato social e viver isso. Mas encontrar nessa situação outras oportunidades de aprendizagem, faz com que você saia da letargia interna e movimente algo que nem sabemos que existia.

Precisamos nos dar mais esses presentes, desviar do caminho de vez em quando e conhecer novos caminhos.

A internet é uma ferramenta importante para esse tipo de conexão, mas nada substitui o contato humano. Vamos nos conectar mais com o comprometimento próprio, criar a disposição para fazer essas coisas acontecerem, se for mais ou menos, tudo bem pela tentativa, mas se for bom, melhor ainda.

Namastê

sábado, 18 de janeiro de 2014

Que tipo de mudança você quer para 2014?

Quem vive em São Paulo, ou em uma grande cidade muitas vezes se pergunta... O que estou fazendo aqui? Vivo nessa loucura, trânsito, transporte público ruim, gente demais nas ruas... um CAOS! E  muitas vezes a vontade de morar em outra cidade mais calma invade nosso ser.

A mudança está somente em você, não importa para onde for, se o que te inquieta não mudar, logo vai se sentir insatisfeito e vai se arrepender. Isso vale também para mudança de trabalho e até de relacionamento.

Mudar é sempre bom, faz sofrer mas sempre tem algum amadurecimento, entretanto não adianta mudar de fora pra dentro, é preciso ser de dentro pra fora, essa mudança é muito mais dolorosa, mas profunda e muito satisfatória.

Sabe aquelas pessoas que vivem mudando algo em sua casa? É o interior querendo lhe dizer algo para mudar, mas o que? Isso é com você! Talvez alguma ajuda profissional ou espiritual pode ajudar a mostrar o caminho mas é você que vai trilhar esse caminho.

Vivo em São Paulo, muitas vezes sinto vontade de ir para outro lugar, mas depois avalio o que tem em minha volta e sinto-me feliz e satisfeita, pois tudo tem seu bônus e ônus. Aceitar é o primeiro passo, avaliar pós e contras é necessário, mas principalmente saber que "tudo está certo do jeito que está".

Encontrar serenidade no caos é a chave, é onde está o desafio.

Quando sentir aquela vontade de mudar, analise que tipo de mudança você quer e qual mudança você realmente precisa.

Tudo começa com um simples passo, um de cada vez, SEMPRE!

Namastê

segunda-feira, 13 de janeiro de 2014

2014 para ser FELIZ

2013 foi um ano de muitas realizações profissionais e pessoais para muitas pessoas, inclusive para mim. Tanto é que nem escrevi ano passado, sim... falta de disciplina e tempo...

Entretanto, algo de interessante aconteceu, resolvi desacelerar... pois em outubro de 2013 fiz uma pequena viagem a Foz do Iguaçu para ver as cataratas e imergir na natureza, foi aí que percebi o quanto estava cansada fisicamente e energeticamente e pude verificar o quanto havia me abandonado.

Resolvi desacelerar diminuindo o número de atendimentos e saindo de um lugar que estava há 3 anos. Foi doloroso? Claro que foi, mas escolhas são escolhas e com elas vem um turbilhão de pensamentos principalmente na área financeira. Entretanto se você fizer as contas e gastar menos, verás que muita coisa pode ser cortada e não há preço que pague um sossego e sua saúde revigorada.

Vivemos em uma sociedade que cultua o valor através do sofrimento e culpa. Tempos atrás para mim era inconcebível curtir uma segunda-feira para tirar o dia livre. É uma mudança lenta, mas necessária, pois a vida não é para ser sofrida ou simplesmente passar por ela, mas sim viver! Da melhor forma que desejar.

Tenho o meu trabalho que amo, que paga as minhas contas, mas não preciso me sacrificar por isso. Isso vale para os relacionamentos, não é porque você ama a sua família, seus companheiros (caso os tenha) que é preciso se sacrificar por eles ou pelas vontades de cada um, veja a sua vontade primeiro, ceder é importante mas ceder a si também o é. Esse é o equilíbrio que todos nós buscamos mas não vivenciamos.

Desejo que em 2014 cada  um receba o que for de melhor de si e que tenha menos culpa de ser FELIZ!

Namastê